Entretenimento

Hoje é dia de Rock, bebê!

13 de julho de 2012

É parafraseando Christiane Torloni no Rock in Rio, que o post de hoje começa. E convenhamos, 13 de julho, dia do Rock, não poderia ter um título melhor.

Dá para dizer que tudo começou em julho de 1954. O rei Elvis Presley deu o start, quando gravou “That’s Allright Mamma” em um estúdio em Memphis. Mas ele não inventou o Rock. Bill Halley e Chuck Berry já tocavam guitarra desde o fim dos anos 40, com todas as influências do blues, R&B e country. Naquele tempo, até o termo Rock and Roll era usado de uma maneira diferente. Em letras de música, era sinônimo de dançar e fazer amor. E foi até parte do nome de um programa de um radialista conhecido na época, o Moondog’s Rock and Roll Party, de Alan Freed.

Mesmo sem ter criado o rock’n’roll, Elvis foi o cara! Ele apresentou o gênero ao mundo. Bonitão, talentoso, carismático e, por mais preconceituoso que isso soe, ele era branco. Na América dos anos 50, onde os negros ainda sofriam com o desprezo e o preconceito, ele ajudou a abrir as portas para muitos músicos incríveis, como Little Richard. Mas não foi fácil. Era difícil para a sociedade aceitar um cara que dançava e cantava como um negro.

Foi então, que em 14 de julho de 1960, o radialista Stewart, negro, que atraía um público branco e que gostava de música negra, estava apresentando um show e recebeu um aviso de que a Ku Klux Klan (organização racista) havia deixado 80 homens esperando para atacá-lo. Sem perder a calma, ele avisou a platéia, que era formada por mais ou menos 800 brancos, que teria que parar o show. Só que o pessoal se rebelou! Eles saíram correndo para atacar a organização e lutar pelo direito de ouvir música!

O Rock, assim como o blues, o samba e o hip hop, nasceu da escravidão e do sofrimento do povo negro. E, assim como todos esses gêneros, tem características indiscutíveis: base constante e repetitiva e o uso da música de uma forma emocional. Desde sempre, o Rock tem uma relação direta com a realidade social. Quantas músicas você já não ouviu que soam como uma crítica aberta a uma situação política? Pois é. O Rock foi a voz de várias gerações e influenciou meninos e meninas do mundo inteiro.

E também influenciou a moda, né? Porque a inspiração que vem da música é parte do dia a dia de quem se veste e se comunica com o mundo! Cada sub-gênero trouxe um novo jeito de combinar a jaqueta de couro com a calça jeans, de cortar o cabelo e se maquiar. Mas no final é tudo atitude! ♥

 

A era de ouro. Elvis Presley, seu topete e o estilo pin-up apareceram para fazer a América dos anos 50 se apaixonar. Vestidos de bolinha, jaquetas de couro, cintura bem marcada, delineador e batom vermelho coroaram o Rockabilly.

Jimi Hendrix, The Who, Janis Joplin e Beatles lá nos anos 60 e 70 fizeram o mundo mais livre e mais louco. O Rock Psicodélico estourou com o Festival de Woodstock e espalhou a onda de “Paz e amor”! E para os guarda-roupas, trouxe as calças flare, cores vivas e formas geométricas. Junto ao Psicodélico, nos anos 70, surgiu também o Rock Progressivo de Pink Floyd, Rush e Genesis.

O Hard Rock foi a comercialização do Rock’n’Roll. Kiss, Queen, Van Halen e Deep Purple aceleraram os acordes, pesaram a mão na guitarra e apostaram no cabelão cheio de volume! Nos palcos, as roupas variavam do total black até o colorido e metalizado.

 

Lá nos anos 80, duas vertentes de Rock se formaram: Punk Rock, liderada por Sex Pistols e Ramones, músicas rápidas e cheias de críticas (God save the Queen, que o diga, né?), e New Wave, com Devo, David Bowie, The Police, Duran Duran e harmonias com sintetizadores, para dar a ideia de um som futurista. E isso tudo se refletiu nas roupas. Cores fortes, neon, brilho, estampas. Tudo ao mesmo tempo.

Na década de 90, os looks que eram considerados futuristas, se tornaram over. Nirvana, Pearl Jam e Nickelback marcaram o Rock Grunge. Jeans rasgado, camisa xadrez e camiseta branca. Minimalismo cheio de atitude! (;

O Rock Alternativo chegou com os anos 2000. E até hoje é difícil classificar o que é alternativo. Tem Indie, Dance-Punk, Love Metal, Folk e muitos outros sub-gêneros. E como representantes desse movimento cheio de influências de todos os cantos, REM, Arctic Monkeys, Franz Ferdinand e The Strokes se saem muito bem. Na moda, todas as referências se juntaram!

E aí? Você curte Rock? Qual é o seu gênero preferido? =)


Comente!