Correspondente Kipling

Tudo que você precisa saber para trabalhar de qualquer lugar do mundo

10 de janeiro de 2017

Eu já passei muito tempo sonhando que trabalhava e viajava o mundo (ou que viajar o mundo era o meu trabalho!) e, de fato, parece o cenário ideal. Você conhece lugares novos e mantém a sua carreira ao mesmo tempo. Tudo bem até aí.

Apesar de parecer maravilhoso um dia trabalhar de um caf√© na frente da Torre Eiffel em Paris e outro nas redondezas do Big Ben, em Londres, essa n√£o √© uma vida para todos. Ser um n√īmade digital, e at√© trabalhar de casa mesmo, no sistema homeoffice, √© para quem tem jeito para a coisa, por mais estranho que isso possa parecer.

Eu, que trabalho homeoffice h√° quase dois anos, posso dizer que me adaptei muito bem a esse estilo de vida, e n√£o sei se penso em voltar pro sistema tradicional em algum ponto no futuro (nunca se sabe, n√©?). N√£o sou n√īmade, mas gostaria de experimentar um pouco dessa loucurinha s√≥ para ver como √©.

Nesse tempo todo eu aprendi muito sobre o que é, de verdade, trabalhar de casa e, acredite, tem tantos pontos negativos quanto positivos. E eu não imagino que seja diferente se eu estou em São Paulo ou Tóquio. Por isso, têm algumas coisas que a gente precisa ter em mente quando vai fazer uma mudança dessas:

1.Seja organizada!

Eu já passei aqui no blog da Kipling algumas dicas para isso, mas não canso de repetir o quanto a organização é importante. Quando você trabalha por si só e não tem alguém o tempo todo te lembrando de deadlines e datas de entrega, é fácil você se perder entre uma reunião por Skype e outra e acabar perdendo prazos.

como trabalhar de qualquer lugar do mundo

2.Aprenda a driblar o silêncio

Fazer homeoffice pode ser silencioso demais e tem horas que toda essa falta de conversa pode ser inc√īmoda. Eu amo trabalhar ouvindo m√ļsica, √© algo que me anima e tamb√©m me mant√©m muito focada no que eu tenho que fazer. Ou seja, s√≥ vejo vantagens! Mas, mesmo ouvir m√ļsica o tempo inteiro pode cansar, por isso √†s vezes vou trabalhar de um caf√© gostoso, em algum lugar p√ļblico (como o Centro Cultural, aqui em S√£o Paulo!) ou na casa de alguma amiga.

3.Tire o pijama!

√Č s√©rio! Trabalhar de pijama parece o maior sonho de todos, mas √© totalmente contra-produtivo. Se voc√™ n√£o levanta nem da cama para trabalhar, como vai se manter motivada? N√£o, n√£o. Um ponto essencial para todo mundo que trabalha de casa (ou de qualquer lugar do mundo), √© sempre sair da cama e se arrumar, como se voc√™ fosse sair para trabalhar mesmo. Da√≠ √© sentar na escrivaninha e come√ßar o trampo de verdade… Nada dessa coisa de ficar alternando o trabalho com o Netflix o dia inteiro.

4.Invista em um bom equipamento

Isso significa que você precisa de um bom computador, para começo de conversa. Se você vai fazer homeoffice ou viajar trabalhando, precisa de um equipamento que seja compatível com a sua profissão e as suas necessidades. Se alguma coisa der errado no meio caminho, isso é meio inevitável, mas pelo menos tenha a mão um material que vai facilitar o seu trabalho! Ter também a bolsa ou mochila certa para levar esse equipamento de um lado para o outro é, tipo, obrigatório. E a Kipling tem uma linha toda pensada só com esse propósito!

5.Saia do computador!

√Č a coisa mais f√°cil do mundo voc√™ come√ßar a trabalhar e passar o resto do dia no computador, sentada na cadeira. Depois que voc√™ termina o trabalho, vem o jantar vendo Netflix, da√≠ tem aqueles blogs legais para ver… E quando voc√™ percebe s√£o tr√™s horas da manh√£ e voc√™ est√° pesquisando ‘como funcionam os rel√≥gios de ponteiro’¬†no Google. Saiba a hora de parar e ficar longe do laptop, mesmo durante o hor√°rio de trabalho mesmo. D√™ uma volta, saia para passear, leia algumas p√°ginas de um livro… Distraia e descanse a mente!

Trabalhar de casa, n√£o deixa de ser exatamente isso: trabalho, ent√£o a gente tem que lembrar que, por mais que seja tentador, n√£o d√° pra ficar na cama o dia inteiro!

Você trabalha ou já trabalhou de casa? Me conta como foi?

Maki De Mingo

Eu escrevo e tomo chá. E escrevo. E tomo chá. E no meio tempo sou a louca do bullet journal e da cultura coreana. Tento colocar em palavras o propósito da vida (spoiler: é o amor).

Saiba mais em: Blog, Facebook, Twitter, Instagram.


Comente!